Crônica: Cabe tanto dentro do peito!

d1163_3_001_0004_600

 

O coração é uma maré de ondas que vão e vem a todo momento, as ondas que quebram a beira dos sentimentos podem até transborda dependendo de sua intensidade, agora olhando o mundo ao redor ando me deparando o quanto o coração pode sentir de uma vez só.

Eu já não amava apenas um alguém, apenas uma música, um passeio, eu já não me encontrava apaixonado só por um, mas sim por um milhão de coisas, pessoas, possibilidades, já não era algo único e isso seria loucura de mim?

“O amor é um só”

Sempre discordei dessa frase, estava em um sentimento que se encontrava em diferentes caminhos, como o amor poderia ser um só? Entre um café e outro em uma livraria que existiam milhares de livros com tantas histórias, me questionava o quanto alguém tinha que sentir para derramar no papel tão belas e fortes palavras, frases, parágrafos e poesias.

Não é possível que um autor amasse apenas um alguém em sua vida toda, que se sentia apaixonado por apenas um sabor na boca, que seus olhos enchiam de lágrimas apenas por um sentimento, que sua empatia por um acontecimento no mundo só ocorria uma vez,  como tanto de um livro poderia vir de apenas uma fonte sentimental?

Eu mesma não amava apenas um café, mas vários, tinha carinho e apego a cada aroma dos cafés por qual eu conhecia, eu me vi amando o beijo que experimentei em uma noite qualquer que aconteceu a anos, mas também me deparava com a paixão que tive ao passar no ponto de ônibus e ver um rapaz lendo meu livro favorito. Me pegava sentindo a atração mais intensa e profunda por um personagem de ficção científica, eu gostava das músicas mais aleatórias que existiam, e não! Nunca teve a única, porque essa escolha tão restrita e cruel para os sentimentos se no peito cabe tanto?

Eu sentia muito, nunca foi pouco, acredito que ainda amo cada coisa que vive com pessoas que hoje nem faço ideia de onde estejam, mas essas lembranças que aquecem o lado de dentro do corpo fazem a alma se sentir viva, e já que estamos por aqui, e que viva os amores, mas em sua forma plural sempre por favor.

Cabe tanto dentro do peito, então eu deixo sentir!

 

 

 

Anúncios

17 comentários

  1. Nossa me identifiquei muito com esse texto hehehe sou bem dessas que não consigo amar uma coisa só. Não tenho uma só banda preferida, nem música, nem livro. Não sei amar só um!

    Curtir

  2. Olá,

    Que crônica maravilhosa e capaz de trazer tanta reflexão para nosso peito. Também acredito que não amamos apenas uma pessoa ou coisa, mas que no nosso peito cabe muito amor, pelas mais diferentes coisas e pessoas. Não sou dessas que só amei um alguém ou uma variedade de algo, sou capaz de amar muito e esse amor só transborda. Adorei, me identifiquei!

    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Engraçado quando descobrimos nossa capacidade de amar né? Quando notamos que selecionamos pequenos detalhes, emoções, coisas, sensações e fazemos um conjunto de amor compartilhado. Adorei o texto, intenso, bonito e tão particular. Parabéns!

    Curtir

  4. Cabe tanto dentro do nosso coração. É impossível haver só um amor quando há tantas formas de amar. Adorei sua reflexão e concordo com cada palavra.
    Um beijinho

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s